Vasquinho assume presidência da Cemil em Patos de Minas

O paracatuense Vasco Praça Filho, no auge de seus 49 anos de idade, acaba de entrar para o rol das lideranças do município que vão brilhar em outros rincões do país. O marco dessa trajetória do ex-prefeito de Paracatu e ex-presidente da Coopervap se deu na manhã de 6 de abril durante a solenidade de posse da nova diretoria da Cemil – Cooperativa Central Mineira de Laticínios, que agora tem Vasquinho como presidente.

Posse

O termo de posse foi assinado por Vasquinho às 11 horas e 02 minutos, sendo prestigiado por diversas lideranças e autoridades regionais. Entre elas, juízes, promotores, deputados, prefeitos, vereadores e produtores de várias localidades. Em seguida, o já empossado presidente Vasquinho, bem como o vice-presidente Ricardo César, receberam das mãos dos ex-diretores da Cemil, duas placas ensejando sucesso na gestão. Ao discursar, o ex-presidente João Bosco declarou que aquele era um momento difícil por deixar a direção da Cemil, mas esclareceu que é justo por ter a certeza que a cooperativa está em boas mãos.

O ex-vice-presidente, Cilas Pacheco, destacou que Vasquinho e Ricardo são sinônimos de idéias novas que chegam para somar. Os conselheiros da Cemil também fizeram uso da palavra, entre eles, o novo presidente da Coopervap, Valdir Oliveira, que entre outras coisas, agradeceu os ex-diretores Bosco e Cilas pelo que fizeram pelo cooperativismo e destacou que a pessoa de Vasquinho dispensa comentários. “É um cooperativista nato. Um líder competente e honesto,” concluiu Valdir. Os prefeitos de Patos de Minas e de Paracatu, Zé Eustáquio e Olavo Condé, desejaram sucesso aos novos gestores.

Condé aproveitou para destacar a presença de outros prefeitos e dizer que o Noroeste de Minas está unido em prol do desenvolvimento. O deputado estadual Inácio Franco e o deputado federal Marcos Montes também levaram seus prestígios à nova diretoria da Cemil. Ao afirmar que a Cemil é uma jovem cooperativa de muito sucesso, o deputado Inácio Franco destacou que a responsabilidade de dirigi-la é grande, mas ressaltou que Vasquinho tem capacidade para tal e vai dar continuidade ao “belíssimo trabalho” que vinha sendo desempenhado. O deputado Marcos Montes abriu um parêntese para destacar o momento político pelo qual passa o país e declarou que ainda assim fez questão de comparecer à solenidade para dizer que o Brasil precisa de homens como os novos diretores da Cemil.

Emiliano Botelho, presidente da Campo, lembrou que vários paracatuenses vivem um misto de orgulho e tristeza, justificando que “Vasquinho é um craque”. “Estamos emprestando para Patos de Minas o nosso camisa 10. Um líder fantástico, correto e probo, que vai dar continuidade à vida da Cemil com muita eficiência”

O vice

O novo vice-presidente Ricardo César agradeceu a confiança nele depositada e se comprometeu a representar da melhor maneira os mais de 7 mil associados da Cemil. Ele revelou que darão continuidade às ações da antiga diretoria e que novos projetos serão iniciados. “Precisamos avançar”, disse, “e com responsabilidade social e ambiental sempre”, completou Ricardo.

O presidente

“São muitas as emoções!” Foi com essa frase que Vasquinho iniciou seu discurso de posse e deixou clara a honra em assumir a presidência de uma empresa do porte da Cemil. Ele nominou várias pessoas que compareceram à solenidade e se disse enormemente agradecido por tanto prestígio. Agradeceu seus pais pelo que aprendeu na vida e falou dos momentos difíceis na Coopervap, todos superados. Ao se dirigir aos colaboradores da Cemil, Vasquinho pediu a todos que se “orgulhem do que construíram e do que ainda vão construir”, deixando claro que o sucesso de uma administração se deve também aos funcionários. Por fim, Vasquinho prestou homenagens aos pioneiros da Cemil, que de acordo com ele, fizeram dela uma empresa séria, organizada e moderna.

Cemil

A Cemil foi fundada em 1991 visando amenizar os problemas das Cooperativas com o excesso de leite produzido por seus associados. Hoje, a Cemil tem capacidade para operar com aproximadamente 250 milhões de litros por ano e está presente em 19 estados do Brasil.

Reportagem: Rubens Martins
Fotos: José Ney Lopes