Kelly Camargos é condecorada como comendadora por renomada entidade

    Compartilhe

    Na noite desta quarta-feira, 23 de junho, a presidente do Grupo Camargos, Kelly Cristina Melchior Camargos, foi condecorada pela Academia Brasileira de Honraria ao Mérito. Agora ela faz parte de um grupo seleto, que tem a honra de ter a medalha da “Cruz do Mérito do Empreendedor Juscelino Kubitschek”, no grau cavalheiresco de Comendadora; A Joia de JK ( cravejada com 27 pedras preciosas, 22 rubis e 5 esmeraldas). A executiva é casada com renomado advogado comendador doutor Wanderson Camargos.

    O evento onde Kelly Camargos foi condecorada comendadora foi realizado no Salão Nobre da Corte em Brasília-DF, e contou com a participação de importantes empresários, advogados e autoridades políticas.      

    Kelly Cristina Melchior Camargos é brasiliense, casada com o renomado comendador Doutor Wanderson Farias de Camargos, graduada em Administração de Empresas pela universidade Uneb – União Educacional de Brasília, e pós-graduada em Comércio Exterior pela Fundação Getúlio Vargas.

    Na sua carreira profissional ocupou cargos importantes e sempre se destacou pela competência, inteligência e determinação. Em sua jornada de trabalho, exerceu ofício de jornalista em uma rede de televisão,  bancária, ocupou cargos renomados como conselheira fiscal do Banco Regional de Brasília -BRB e Assessoria Direta do Governo do Distrito Federal, e nos últimos anos exerce a presidência do Grupo Camargos, desempenhando o ofício de administradora da Camargos Advocacia de Consultoria Previdenciária, administrando 33 escritórios de advocacia espalhados pelo Brasil.

    Ela se tornou referência nacional e internacional pelo seu vasto trabalho e contribuição para o desenvolvimento cultural e sócio-econômico da população do Brasil.

    O que é Comendador(a)

    Comendador(a) é o nome dado ao indivíduo que recebe uma condecoração honorífica de ordem militar, política ou eclesiástica; alguém que é agraciado com uma comenda, ou seja, um benefício.

    Atualmente, o termo comendador é utilizado apenas como um título distintivo de honra, oferecido por algum tipo de autoridade às pessoas que se destacam por ajudar a engrandecer a sociedade, seja por trabalhos ou influências sociais, econômicas e políticas, por exemplo.

    No entanto, antigamente as comendas eram entregues aos eclesiásticos (membros da igreja) ou cavaleiros militares, podendo ser tanto uma quantia de dinheiro, como uma porção de terra que era ofertada oficialmente para quem demonstrasse serviços em benefício dos interesses da autoridade que lhe concedeu o título, como por exemplo o governo, a monarquia, a igreja e etc.

    A tradição de conceder comendas e títulos de comendador começou na Europa e existiu durante muitos séculos como uma estratégia de assegurar e preservar a conquista das terras e incentivo a expansão territorial. A terra doada deveria ser obrigatoriamente defendida pelo comendador do ataque de invasores e inimigos.

    Em Portugal, a distribuição de comendas foi uma importante ferramenta para que os monarcas portugueses conseguissem mais serviços e vassalagem. As chamadas “comendas militares” eram ofertadas por três principais Ordens: de Cristo, de São Bento de Avis e de Santiago.

    Reportagem: José Ney Lopes

    Fotos: Arquivo pessoal de kelly Camargos