Autoridades fecham o cerco contra baderneiros em Unaí

    Compartilhe

    Quem participa de luau em plena pandemia, imaginando que está tudo bem, ou até mesmo se desfazendo do atual cenário que a cidade de Unaí se encontra, ganhar o nome de baderneiro ainda seria pouco pela gravidade da situação. Só no ano de 2021 a Polícia Militar de Unaí já registrou 23 ocorrências de fiscalização de festas e 341 registros de apoio a fiscalização.

    O comércio local já pagou caro e levou a culpa sozinho do acréscimo dos casos na chamada segunda onda, que tomou conta de Unaí entre os meses de março e abril. Enquanto isso centenas de pessoas estão participando de baladas em luaus realizados nas extremidades da cidade.

    Na coletiva com a imprensa realizada na manhã de quarta-feira, 02 de junho, esse assunto foi abordado e representantes do Ministério Público, Polícia Militar, Prefeitura Municipal e Polícia Civil deixaram claro que as medidas serão mais severas para os organizadores desses eventos e também para quem participa, podendo ser enquadrados em inúmeras penalidades.

    Comércio Local

    Na coletiva foi citado que o comércio local foi penalizado em ter que ficar quase um mês fechado enquanto essas pessoas simplesmente descumprem a lei e se aglomeram em um ambiente totalmente hostil, onde acontece tráfico de drogas, prostituição e, assim como no último sábado, até assassinato.

    Luaus já são responsáveis por alta de casos de COVID

    Esses luaus estão nitidamente fazendo com que os casos de coronavírus aumentem em Unaí nas últimas semanas, que chegou a ter apenas duas pessoas na UTI e 4 pessoas na ala covid do Hospital Municipal, uma redução de mais de 80% comparando com o pico da segunda onda deste ano.

    Nesta quarta-feira, o boletim que informa a ocupação dos leitos trouxe uma informação preocupante, pois dos 13 leitos de UTI ocupados, 4 são pacientes de Unaí, e dos 31 leitos clínicos do Hospital Municipal com pacientes COVID, 19 moram em Unaí.

    Penalizando os Responsáveis

    Para aqueles que são mapeados e identificados como organizadores de Luau, a vida não ficará fácil a partir de agora, a ação integrada dos quatro poderes, Prefeitura Municipal, Ministério Público, Polícia Civil e Polícia Militar estarão focados nesses prováveis organizadores que têm a capacidade de reunir centenas de pessoas para participar dessas festas clandestinas que são responsáveis cada vez mais por contaminações em Unaí.

    Também na manhã desta quarta-feira (02/06) o COES (Comitê de Emergência em Saúde de Unaí) divulgou a deliberação de número 10, onde toma medidas de enfrentamento à COVID-19 visando a proteção da coletividade, onde ficou determinado a proibição de Luaus, estabeleceram restrições da feira do Canaã e aglomeração em vias públicas. Essa deliberação facilita a atuação tantos das autoridades policiais quanto os fiscais da Prefeitura Municipal.

    A coletiva foi realizada na manhã de quarta-feira, no auditório do 28º Batalhão da Polícia Militar de Minas Gerais, no mesmo dia ouve diversas blitz nos principais pontos da cidade com o objetivo de coibir a realização de luaus.